DestaqueGeralNotíciasPolítica

Sucateada, Santa Casa de Andradina tem dívida de R$ 45 milhões 

Segundo o prefeito, dificuldades de receita enfrentadas pelo hospital refletem na qualidade do atendimento em consultas, internações e cirurgias

Assessoria de Comunicação/Prefeitura

 

 

 

 

 

ANDRADINA – O prefeito de Andradina, Mário Celso Lopes, revelou o tamanho do “rombo” nos cofres da Santa Casa, em entrevista a jornalistas da região, na manhã desta terça-feira (16). Administrada pela OSS (Organização Social de Saúde) da Irmandade “Santa Casa de Andradina”, o hospital tem uma dívida de R$ 45 milhões, além de execuções judiciais, acordos financeiros não pagos, falta de recolhimento de tributos, além de outros déficit.

As dificuldades de receita enfrentadas pelo hospital refletem na qualidade do atendimento em consultas, internações e cirurgias, o que ascendeu o alarme vermelho na Administração Pública, com uma intervenção de seis meses.

As contas bancárias da OSS foram bloqueadas, fechaduras foram trocadas e todos os conselhos e contratos de cargos de confiança foram suspensos, às 15 horas de ontem (15).

O prefeito Mário Celso Lopes, pretende resgatar a credibilidade do hospital, que hoje acumula dívidas e presta um serviço questionável. Sem recursos suficientes para investir em sua manutenção e pagar credores, a Santa Casa de Andradina nem chega a conseguir trabalhar com toda a sua capacidade e teve o número de leitos reduzidos, por conta da “deterioração da estrutura”.

Dívidas em aberto

O passivo criado ao longo dos anos compromete todo o funcionamento do hospital. Entre as dívidas, estão R$ 11 milhões para a concessionária de energia elétrica Elektro. Esse valor se refere a uma “conta antiga” parcelada, que já deixou de ser paga. Além disso, o hospital passou a acumular mais dívidas com a empresa, pois, desde 2018, não paga a conta de luz, perdendo também um desconto mensal de 50% na conta, por se tratar de instituição filantrópica. O caso está na Justiça.

Outras grandes dívidas são R$ 11,5 milhões em recolhimentos do INSS; R$ 4,5 milhões em recolhimentos de FGTS; R$ 3 milhões para fornecedores; R$ 7 milhões para instituições bancárias (Santander e Bradesco); dentre outras.

“Topamos o desafio, pois as contas do município foram sanadas e gozamos de excelente situação financeira, já que somos austeros com o investimento público. Recentemente municipalizamos a FEA (Fundação Educacional de Andradina), que estava em situação similar. Em poucos meses, a Fundação já está “no azul” e assim será com a Santa Casa”, garantiu Mário Celso.

 

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo